Países que passaram por crises e turbulências se tornam destinos de destaque no turismo internacional


MYANMAR

Myanmar lidera ranking


No relatório da Organização Mundial de Turismo (OMT) sobre o turismo global em 2019, que apontou crescimento das visitas em 4%, a surpresa foi a expressiva alta de viajantes em países que passaram por crises ou conflitos políticos em tempos recentes.
Myanmar, na Ásia, lidera a lista com um aumento de 40,2% dos visitantes de 2018 para 2019. Seguido por Porto Rico, que foi atingido pelo furacão Maria entre 2017 e 2018, causando a morte de 2.975 pessoas. A alta de turistas no país caribenho foi de 31,2%.
O terceiro da lista é o Irã, que registrou um acréscimo de 27,9% nos visitantes. Em janeiro deste ano, o país entrou em rota de colisão com os Estados Unidos após o ataque norte-americano que matou o general iraniano Qassem Soleimani. Como retaliação, o Irã atacou duas bases do exército americano, o que estremeceu ainda mais a relação entre os dois países.

Mudança de imagem


Myanmar, o grande destaque da lista, tinha um regime ditatorial até 2011, quando se iniciou um processo de redemocratização do país. Mas somente em 2016 um presidente não militar tomou posse. Existe um conflito entre budistas e rohingyas, uma minoria muçulmana que vive no estado de Rakhine, no noroeste do país, e não tem direito à cidadania. A Organização da Nações Unidas (ONU) acusa Myanmar de realizar uma limpeza étnica do povo rohingya, que migrou em massa para países vizinhos como forma de fugir da violência.
Segundo Mariana Aldrigui, pesquisadora em Turismo na Universidade de São Paulo (USP), Myanmar passou a facilitar a entrada de visitantes para mudar a imagem do país. "Durante quatro anos, as fronteiras ficaram fechadas e recentemente o governo iniciou uma campanha para facilitar a expedição de vistos para alguns países vizinhos, como a China. Essa é uma estratégia muito importante para aumentar o fluxo de turistas".

Os destinos turísticos que mais crescem no mundo


  • Myanmar 40, 2%
  • Porto Rico 31,2%Myanmar 40, 2%
  • Porto Rico 31,2%
  • Irã 27,9%
  • Uzbequistão 27,3%
  • Montenegro 21,4%
  • Egito 21,1%
  • Vietnã 16, 2%
  • Filipinas 15,1%
  • Maldivas 14,9%
  • Bahamas 14,6%
  • Catar 14,5%
  • Armênia 14,4%
  • Coreia do Sul 14,4%
  • Turquia 14%
  • Bósnia e Herzegovina 13,7%
  • Tunísia 13,6%
  • Laos 11,5%
  • Azerbaijão 11,4%
  • Israel 10,5%
  • Lituânia 10,1%
  • Cazaquistão 10%
  • Irã 27,9%
  • Uzbequistão 27,3%
  • Montenegro 21,4%
  • Egito 21,1%
  • Vietnã 16, 2%
  • Filipinas 15,1%
  • Maldivas 14,9%
  • Bahamas 14,6%
  • Catar 14,5%
  • Armênia 14,4%
  • Coreia do Sul 14,4%
  • Turquia 14%
  • Bósnia e Herzegovina 13,7%
  • Tunísia 13,6%
  • Laos 11,5%
  • Azerbaijão 11,4%
  • Israel 10,5%
  • Lituânia 10,1%
  • Cazaquistão 10%